Mensagens em Efésios    

O CRISTÃO E O SEU CONHECIMENTO DE DEUS (Ef. 1:15-17).
15 Por essa razão, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do amor que demonstram para com todos os santos,
16 não deixo de dar graças por vocês, mencionando-os em minhas orações.
17 Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê um espírito* de sabedoria e revelação, no pleno conhecimento dele. (NVI)

A maior necessidade do homem é conhecer a Deus.
1. O objetivo de Paulo, e este é também meu desejo pessoal, é ver os crentes viverem o dia a dia fazendo a vontade de Deus. Andando nos caminhos de Deus. Por esta razão Paulo ora.
Captação. Paulo conhecia bem aqueles irmãos. Aqui temos a importância do livro de rol de membros. A importância de atualizar os dados. O maior valor não é apenas o da informação pessoal...
Paulo ora pelos crente e agradece a Deus pelo fato de que os crentes estão na vida cristã (cf. vs. 15, 16). Eles foram selados, e eles têm poder no Espírito Santo. Eles estão vivendo a vida cristã conhecendo verdadeiramente quem Deus é. Ele queria ver os crentes fazendo a vontade de Deus.
2. A oração de Paulo. Todo crente, verdadeiramente cristão, se alegra quando outras pessoas também se tornaram cristãs. Nada deveria alegrar mais o coração do crente do que saber que há outras pessoas em igual posição e gozando as mesmas bênçãos. Tendo ouvido esta notícia, Paulo dá graças a Deus pela vida daqueles irmãos. Da mesma maneira a nossa oração deveria ser sempre dividida, sempre na ilustração da mão (confissão, louvor, intercessão, petição e fé). Isso inclui adoração e culto geral.
a) O apóstolo ora a Deus o Pai. Ele não ora ao Senhor Jesus Cristo, não ora ao Espírito Santo, mas ao Pai. Faço esta observação por motivos bem simples. Atualmente, muitos cristãos parecem pensar que marca por excelência da espiritualidade é orar ao Senhor Jesus Cristo. E muitas pessoas me perguntam se isto está certo ou errado. Mas quando recorremos às Escrituras, descobrimos que realmente devemos pedir ao Pai. O Senhor Jesus é o nosso mediador; Ele é que nos leva ao Pai. Vamos ao Pai por intermédio dEle; Ele é o grande sumo sacerdote; é o nosso representante. Normalmente não oramos a Ele, mas ao Pai, em nome de Jesus.
b) O apóstolo ora ao Deus conhecido. No velho Testamento descobrimos que o israelita piedoso conhecia a Deus. Encontramos esta confirmação em muitas orações feitas na Bíblia, especialmente quando se menciona as expressões: Deus de Abraão Isaque e Jacó .
Ahh!! Que diferença faz quando oramos desta maneira. Você não vai mais a presença de Deus com incerteza, ou com dúvidas ou questionamentos. Não precisamos ficar atemorizados. Devemos, sim, orar com reverência e santo temor por causa do Seu caráter glorioso; mas ao mesmo tempo, devemos ir com confiança e certeza porque nós o conhecemos. Devemos orar como os discípulos, voltando-nos para Jesus e pedir: Senhor, ensina-nos a orar (Lc 11:1).
3. Há comunhão, interesses, e sentimentos de que pertencemos à mesma família. Esta é a verdade imutável acerca do cristão. O efésios amavam os irmãos, gostavam de estar com eles, gostavam de passar tempo com eles (leiamos juntos o verso 15).
Note que o apóstolo declara que soubera da fé dos efésios para com o Senhor Jesus e também do amor deles para com todos os santos. Eles não só amavam aqueles dos quais já gostavam; mas eles amavam todos os santos. Não só os inteligentes, não só os cultos, não só os agradáveis, não só os que pertenciam a determinada camada social. Não, mas todos os santos. Embora pareça cômodo amar as pessoas fáceis, o cristão deve amar a todos.
O cristão quando se encontra com alguém pela primeira vez, não repara na roupa dele, não repara na sua aparência geral, ele não fica perguntando: De onde ele veio? Que escola ele freqüentou? Qual é o seu saldo bancário? Não. Pelo contrário, as suas perguntas são: Ele é filho de Deus? Ele já nasceu de novo? Ele é meu irmão em Cristo? Somos parentes?
Ilustração: Conta-se a história verídica de um homem Philip Henry, quando ele começou a namorar a moça com quem se casou. A moça pertencia a um grupo social mais alto que o dele, mas ela se tornara cristã, e portanto, a questão da posição social deixara de ter valor para ela e não era nenhum obstáculo para o casamento deles. Um dia seus pais questionando a filha lhe perguntaram: Este homem, Philip Henry, de onde veio? Aquela moça deu uma imortal resposta aos pais e que deve caracterizar a nossa vida também. Ela disse: "Não sei de onde ele veio, mas sei para onde ele vai."
Aplicação: Amamos os santos porque sabemos para onde eles vão. Juntos caminhamos para o mesmo destino eterno. Pertencemos ao mesmo Pai e caminhamos para a mesma casa, mesma família. Vamos indo para o mesmo lar, e sabemos disso.
Alguns de nós são mais difíceis, é verdade, mas graças a Deus estamos viajando juntos para o nosso lar celestial e sabemos que virá o dia em todas as nossas manchas, defeitos, máculas e rugas desaparecerão, e todos juntos seremos glorificados e aperfeiçoados, gozando a mesma eternidade gloriosa. Diga: Tenha esperança, meu irmão, porque um dia, serei completamente perfeito :) Amém!
O nosso tema é: O Cristão e o seu Conhecimento de Deus.
A maior necessidade do homem é conhecer a Deus. Você conhece a Deus? você vive para fazer a vontade de Deus? Eu quero deixar estes três desafios para quem quer conhecer a Deus.
1. Devemos procurar conhecer quem Deus é (v.17).
2. Devemos manter comunhão verdadeira com o nosso Deus (v.17).
3. Precisamos do Espírito de Deus para conhecer a Deus (v. 17).
I. Devemos procurar conhecer quem Deus é (v. 17).

O interesse de Paulo é que os cristãos viessem a conhecer a Deus. Por esta razão é que ele ora para Deus lhes desse o espírito da sabedoria e de revelação. Esta é a nossa maior necessidade. Conhecer a Deus. A maior necessidade do homem é conhecer a Deus.
O termo conhecimento é um termo muito forte e muito poderoso. Este termo não tem o sentido de um conhecimento ligeiro ou superficial. Este é um conhecimento profundo. Portanto, este conhecimento fala do conhecimento preciso e exato que podemos pensar. Isso significa que a oração do apóstolo em favor dos crentes é que eles cheguem a este conhecimento verdadeiro de quem Deus é. Que eles cheguem ao pleno conhecimento, preciso, exato.
Aplicação. Deus quer que conheçamos quem Ele é, como diz o profeta Oséias (6:3). Este conhecimento não é intelectual, acadêmico ou teórico. Devemos procurar um conhecimento real e pessoal com Deus. Esta é a oração de que todos necessitamos. A nossa necessidade suprema é conhecer a Deus.
II. Devemos manter comunhão verdadeira com o nosso Deus.
Conhecer uma pessoa significa algo que vai além de um contato casual. Significa manter comunhão num sentido real e verdadeiro. Significa um conhecimento que não se limita apenas ao conhecimento intelectual ou teórico. Conhecer a Deus não é teoria. Existe um conhecimento a respeito de Deus que é apenas teórico. Os demônios têm este tipo de conhecimento de Deus.
Ilustração: Tiago 2:19, diz que os demônios crêem e tremem.
Aplicação: Perceba que os demônios sabem do poder de Deus, da Sua grandeza, todavia nada mais que isso. Os demônios não podem manter comunhão com Deus. O conhecimento que Paulo tem em mente não é o conhecimento teórico e também não é o conhecimento acadêmico, mas sim, um conhecimento, real e pessoal. O conhecimento de Pai e filho. A nossa necessidade suprema é conhecer a Deus.
Você conhece a Deus, quem Ele é? Não estou perguntando se você crê em coisas a respeito dEle; mas se você O conhece e já O encontrou. Você já se viu com certeza na Sua presença? Oxalá que conheçamos a Deus. A nossa necessidade suprema é conhecer a Deus. Oséas 6:3.
III. Precisamos do Espírito de Deus para conhecer a Deus.

Será que é possível conhecer a Deus mediante uma pesquisa em bibliotecas, porque a vontade do homem está buscando querendo conhecer e encontrar a Deus? A resposta é não. Não porque:
1. O homem por natureza não conhece a Deus e não tem prazer em buscar a Deus. O homem entregue a si mesmo, por todos os esforços que faça, jamais pode chegar ao conhecimento de Deus. Não importa quão grande seja a sua mente, ou o seu entendimento, o homem por natureza, não é espiritual. Sem a atuação do Espírito Santo jamais poderá chegar ao conhecimento de quem Deus é.
2. Somente o Espírito Santo de Deus nos leva a conhecer a Deus. Olha que o verso 17 faz esta afirmação. Ele nos mostra que Deus nos dá este conhecimento de quem Ele é de duas maneiras:
a) Espírito de sabedoria. Sabedoria significa conhecimento, a sabedoria de alguém que domina uma certa ciência. Mas o que Paulo realmente está pedindo em oração para os efésios é que eles tenham o conhecimento que nos torna sábios para a salvação.
Esta sabedoria não é natural ao homem. Imagine por um pouco de tempo. Suba com a sua mente natural para o ponto mais alto e olhe para a cruz do Calvário. Que é que você vê lá? O máximo que você pode ver é a morte de um mártir, a morte de alguém de alma pura, a morte de uma pessoa honesta. A morte de um coitado. O homem natural não vê nada mais que isso na cruz. Ele não consegue enxergar o amor de Deus. Somente o Espírito de Deus pode habilitar o homem a enxergar este amor.
b) Espírito de revelação. Meus irmãos, as conseqüências da queda do homem são tão grandes que nenhum homem, pelo exercício da sua vontade, pode conhecer a Deus. Esta revelação é a capacidade de entender as verdades espirituais.
Não se trata de pedirmos a Deus que nos dê o Espírito porque Ele já nos deu. Nós já fomos selados com o Santo Espírito da promessa cf. vs. 13, 14, mas sim, que podemos e devemos pedir em oração a favor do seu ministério de iluminação. Esta é a seqüência do verso 18.
Pr. Jorge Francisco Cacuto

anterior